quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Admiradores do Pr. Cláudio Duarte espalham mentira sobre casal que teria se “revoltado" e "constrangido” com padre durante o casamento


Por Fernando Nascimento


Os "Admiradores do Pr. Cláudio Duarte", (pastor esse que já havia sido pego mentindo para seus seguidores, quando meses atrás bravateava dizendo que criticou os dogmas marianos dentro de uma Igreja Católica diante dos católicos e teve que se retratar da mentira contada*), agora tem uma página no Facebook, onde acaba de postar outra mentira vagabunda que podemos ver logo abaixo:


Endereço onde os admiradores do pastor postaram a mentira: 
https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=1947776991903085&id=914895818524546&hc_location=ufi


Eles simplesmente quiseram tirar proveito de um artigo do site “Casa de mulher”, e colocaram a foto dramática desse casal que nada tem a ver, em um outro caso onde o padre estava coberto de razão, pois casamento com pessoa de outro credo não é aconselhável nem no judaísmo, nem no catolicismo e nem em muitas seitas protestantes como a do Pr. Cláudio. O próprio Pr. Cláudio está confirmando isso bem no início deste vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=rxb0JFk7SNQ

O artigo do site “Casa de mulher” indicado pelos seguidores do pastor, é tendencioso e só mostra o lado dos noivos que estão completamente errados. Puro mimimi caolho que omite o argumento do padre e desconhece o Catecismo da Igreja Católica.


“Católico” que desconhece o que diz o Catecismo da Igreja sobre o casamento; falta as aulas de preparação para o casamento; e ainda leva um acatólico para o altar pensando que isso é normal, tem é que levar repreensão mesmo e até ser impedido dependendo do caso. Pra isso o padre costuma dizer para os presentes, antes de oficializar o casamento: “se alguém se opõe a este matrimônio, fale agora ou cale-se para sempre”.


A verdade:


Não havia qualquer padre diante do casal no momento desta foto apresentada pelos seguidores do pastor. E nenhum padre “revoltou” ou “constrangeu” estes noivos durante o casamento.

As expressões do casal são por causa da presença surpresa do cantor Thiaguinho em sua festa de recepção após o casamento. Veja abaixo, fotos e o vídeo que contém esse momento de onde surrupiaram a foto pra usar nessa mentira:





Até quando forjarão essas mentiras contra a Igreja Católica?


Fimdafarsa.

domingo, 22 de outubro de 2017

Refutando meme Chaplin ateu, Hitler católico

Por Fernando Nascimento

Circula na Internet a meme abaixo, atribuindo Chaplin como ateu e Hitler como católico:



Há dois grotescos erros anti-históricos nessa meme atea, que também é muito difundida por seitas protestantes para atacar os católicos. Lógico que religião não define caráter, e ser ateu não é garantia de se ter bom caráter, como notado na má fé e desonestidade verificada nessa meme atea.

Refutemos então a falta de caráter do ateu que a forjou e as dos integrantes de seitas protestantes que a difundem:

1- Chaplin não era ateu, mas agnóstico. Ele cria numa “Força Suprema.”
De acordo com seu filho, Charles Chaplin Jr., em seu livro “Meu Pai, Charlie Chaplin” (inédito no Brasil), seu pai haveria afirmado:

“Eu não sou um ateu […] Eu sou definitivamente um agnóstico. Alguns cientistas dizem que se o mundo fosse parar de girar nós todos desintegraríamos. Mas o mundo continua girando. Algo deve estar segurando a todos nós no lugar […] Alguma Força Suprema. Mas o que é, eu não poderia te dizer.” [1]

Chaplin, no seu filme “O grande ditador” (1940), usou exatamente o décimo sétimo capítulo de São Lucas, na Bíblia, contra as sandices de Hitler dizendo: “O reino de Deus está dentro do homem. Não em um homem nem de um grupo de homens, mas em todos os homens, em você!”  - Veja aos 2min e 25seg do vídeo abaixo. https://www.youtube.com/watch?v=PUusOlo3fy4

Logo, ateu não sai por aí dizendo que Deus está dentro de todos os homens.


2- Hitler não era católico.

Existe uma afirmação de que Hitler se converteu ao protestantismo, de acordo com o Secretário Nacional Klundt, em 25 de abril de 1933, em Königsberg. Isso nunca foi negado pelo Ministério das Comunicações alemão. [2]

A Igreja já havia excomungado todo o nazismo, seus líderes e o católico que dele participasse, desde 1930, 3 anos antes de Hitler subir ao poder e 9 anos antes de Hitler iniciar a Segunda Guerra Mundial. A Fundação Judaica Pave the Way Foundation (PTWF) confirma isso, veja: http://fimdafarsa.blogspot.com.br/2015/09/fundacao-judaica-encontra-documentos.html

Tanto é verdade que a excomunhão já havia ocorrido que a Fundação Judaica Pave the Way Foundation (PTWF), afirma nesse documento:

“Indignados e furiosos pela excomunhão emitida pela Igreja católica, os nazistas enviaram Hermann Göring a Roma com a petição de audiência com o secretário de Estado, Eugenio Pacelli. No dia 30 de abril de 1931, o cardeal Pacelli recusou se encontrar com Göring, que foi recebido pelo subsecretário, Dom Giuseppe Pizzardo, com a missão de tomar nota de tudo o que os nazistas pediam.

Em agosto de 1932, a Igreja católica excomungou todos os dirigentes do Partido Nazista. Entre os princípios anticristãos denunciados como hereges, a Igreja mencionava explicitamente as teorias raciais e o racismo.

Também em agosto de 1932, a Conferência Episcopal Alemã publicou um documento detalhado em que se davam instruções de como se relacionar com o Partido Nazista. No documento, publicado pela Conferência Episcopal Alemã, está escrito que era absolutamente proibido aos católicos ser membros do Partido Nacional-Socialista. Quem desobedecesse seria imediatamente excomungado.”

Diante dessa veemente repulsa católica ao Nazismo, coube a Hitler "santificar" o nazismo nas igrejas protestantes que tanto o apoiavam.

Abaixo vemos um registro histórico importantíssimo, descoberto no Diário de Goebbels, Ministro das Comunicações do III Reich. (Clique nas fotos para ampliar)



A seguir vemos Hitler saindo de uma Igreja luterana, a Christus-und Garnisonkirche der evangelisch-lutherische Kirchengemeinde in Wilhelmshaven.



Todas as cerimônias religiosas realizadas ou frequentadas por Hitler foram em igrejas protestantes luteranas ou calvinistas.




Logo, católico não vive permanentemente em cultos e cerimônias protestantes, sem nunca pisar numa Igreja católica.

Por fim, Hitler acabou por fundar sua própria igreja protestante. Para saber qual era a “igreja” de Hitler basta acessar este link, ou dar um pulinho na Alemanha:


Fimdafarsa.

-----------------

[1] Charles Chaplin, Jr. Meu pai, Charlie Chaplin. Pg 239-240.

[2] Friedrich Baumgärtel, wider die Kirchenkampf Legenden, Neuendettelsau, 1959.


segunda-feira, 9 de outubro de 2017

31 de outubro protestante: dia de lamentar




Neste mês de outubro, mais precisamente no dia 31, os protestantes de todos os matizes pretendem comemorar a "reforma" luterana. Mas a "reforma" luterana é, antes, lamentável. É deplorável. Porque até Martinho Lutero deplorou o que fez. Em raro momento de lucidez, ele deplorou. E deixou consignado o seu tormento:


"Ninguém é capaz de imaginar quanto custa e que suplício é para um homem ensinar e crer uma doutrina que não admitem os Padres da Igreja. Que agitações no seu coração pensar que tantos homens excelentes, esclarecidos, doutos e por assim dizer a maior e melhor parte do mundo cristão acreditaram e ensinaram tal e tal artigo e, com eles, tantas almas santas, os Ambrósios, os Jerônimos, os Agostinhos! Parece-nos ouvi-los, em gritos de angústia, repetir em coro: A Igreja! A Igreja! E a alma se confrange de dor suprema! Oh! é na verdade uma prova rude...separar-se de tantos personagens santos...romper com a própria Igreja e não ter nem fé nem confiança nos próprios ensinamentos...Não posso negar a angústia e a perturbação que me causam muitas vezes estes pensamentos..." (Erl. XLVI, 266-229; LX, 82.)


Não deveriam essas palavras desestimular qualquer intento de comemoração? Não são elas um verdadeiro tapa na cara dos "evangélicos"? Mas os protestantes propagandeiam a comemoração.

 "Apologistas" protestantes improvisados, pouco afeitos ao estudo da História, gritam os "triunfos" da "reforma", encabeçada pelo monge que... a deplorou! Sim! Que seja reafirmado e fique bem claro: Lutero deplorou o que fez. E deplorou com razão.

Porque há 1.500 anos estava o Cristianismo vigente no mundo. A Igreja, então, existia e caminhava na História. A Instituição de Cristo atravessava os séculos, incólume às investidas da heresia, travando contra elas as mais acirradas batalhas. Suportava com bravura, porque firmada no rochedo de Pedro, todas as tentativas seculares de destruí-la. As portas do inferno não prevaleciam, como nunca prevaleceram e jamais prevalecerão. Porque Cristo não é mentiroso.

Não obstante atravessar algumas crises, desencadeadas, de maneiras várias e com desdobramentos diversos, por elementos menos dignos, muitas vezes alojados em seu próprio seio, a Igreja ainda era a Igreja. Guardiã, intérprete e propagadora da verdade revelada.

Lutero sabia disso. Daí o seu lamento. Não havia, pois, lugar para "reforma". Não uma reforma como a que desejam comemorar agora. Porque não foi uma autêntica reforma. Foi uma revolta. Foi uma rebelião, cujos corifeus jogaram na lama a unidade querida por Cristo para a Sociedade que estabelecera. Introduzindo doutrinas claramente corruptoras da verdadeira fé. Da fé dos Pais, como lembrou o próprio heresiarca. Da fé de sempre, como lembramos nós.

Comemorar a "reforma" é celebrar a discórdia, aplaudir a insubordinação das almas à obra de Cristo, Nosso Senhor. Obra que continua, em que pesem os sonhos de legitimidade do protestantismo alienígena.


-----------
Por Maria,

Fábio Morais.

Fim da Falácia sobre Pedro, Antioquia e Roma



Certa vez fui interpelado por um pastor batista que me alegou estar surpreso com o que ele chamou de "incoerência católica". É que, baseado na tradição que afirma ter sido Pedro o primeiro bispo de Antioquia, o pastor não conseguia entender porque o bispo de Roma, e não o de Antioquia, é o detentor do Primado herdado de Pedro.


O argumento é capcioso, e se observarmos com atenção os sites e blogs protestantes, o veremos algumas vezes. É assim que, imbuído desse pensamento, escreve Lucas Banzoli, no seu blog:

"Vale acrescentar ainda que, de acordo com a tradição antiga, Pedro teria sido bispo de Antioquia antes mesmo de pisar os pés em Roma. Mas, paradoxalmente, os papistas rejeitam por completo o primado dos bispos de Antioquia, sucessores de Pedro por sucessão apostólica, porque implicaria em reconhecer a supremacia da Igreja Ortodoxa, que é "cismática" e "herética"...


O argumento, como disse, é capcioso, não se sustenta, é falso! 
Demonstrei a fragilidade dele ao pastor que me abordara. O fiz mais ou menos nos termos que seguem.

É certo que Pedro foi primeiramente bispo de Antioquia e que só posteriormente foi bispo de Roma. Mas há que se compreender que, em Pedro, tanto em Antioquia como em Roma, temos o bispo da cidade e TAMBÉM o chefe da Igreja. Ao deixar a cátedra antioquena, Pedro providenciou, evidentemente um sucessor, que a Tradição diz ter sido Evódio. Mas, tal sucessor de Pedro é sucessor do bispo da cidade e não do chefe da Igreja, visto que a sucessão NÃO SE DEU PELA MORTE DO APÓSTOLO. Pedro, enquanto chefe da Igreja, ainda vivia e continuou a viver por muitos anos quando Evódio o sucedeu.

Evódio herdou, então, o episcopado de Antioquia. Não herdou a liderança sobre toda a Igreja de Cristo. Porque Pedro, que detinha tal liderança, CONTINUAVA VIVO.  Evódio, portanto, sucedeu a Pedro, na igreja de Antioquia, SOMENTE NO EPISCOPADO.


Chefe da Igreja, Pedro assumiu a cátedra romana. Era, então, igualmente o bispo de Roma e o chefe da Igreja, como o fora em Antioquia. Mais tarde, morrendo Pedro como bispo de Roma e chefe da Igreja, o seu sucessor, é óbvio, o sucedeu como bispo e chefe da Igreja. Porque a sucessão se deu pela morte do apóstolo, que era bispo e chefe da Igreja EM ROMA!

Daí a preeminência do bispo de Roma, o qual é sucessor legítimo do chefe da Igreja e não apenas do bispo, como foi Evódio em Antioquia.

Essa explicação é clara. O dito pastor a compreendeu. É um homem razoável.

Todavia, muitos protestantes continuarão esperneando. Que o façam.

Mas a evidência está aí...



-------------------

Por Maria,

Fábio Morais.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Papa nunca "aprovou" o livro "Piccolo Uovo" de uma lésbica

Autora e a imprensa agiram de má fé


Resposta do Vaticano à mentira de que o Papa teria “aprovado” o livro “Piccolo Uovo” que promove homossexualismo e ideologia de gênero para crianças:

“De maneira alguma a carta da Secretaria de Estado pretende aprovar comportamentos e ensinamentos que não estão em consonância com o Evangelho, embora apoie ‘sempre uma atividade mais saudável à serviço das jovens gerações e da difusão dos autênticos valores humanos e cristãos’”, ressalta.

“A bênção que o Papa Francisco concedeu no final da carta foi para a pessoa e não para eventuais ensinamentos que não estão de acordo com a doutrina da Igreja sobre a ideologia de gênero, que não mudou absolutamente em nada, como muitas vezes assinalou o próprio Santo Padre”, precisa o comunicado.

Então, conclui o texto divulgado pelo Vaticano: “É totalmente descabida uma instrumentalização do conteúdo da carta”.


O principal difusor dessa mentira no Brasil foi o jornal Folha de São Paulo.


Fimdafarsa.

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Teoria da Subversão Comunista Aplicada ao Brasil

A sociedade brasileira está desfalecendo e não tem ideia do porquê. Nesse vídeo o ex-agente da KGB Yuri Alexandrovitch Bezmenov, ou Thomas Schumann, explica quais são os pontos que ele foi ensinado a atacar para destruir uma sociedade.





Fimdafarsa.

sexta-feira, 1 de setembro de 2017