quinta-feira, 27 de março de 2014

Os insultos protestantes de Chico Xavier ao Catolicismo

Chico Xavier disse que o Papa é a Besta do Apocalipse

Eu pensava que só os protestantes mais desmiolados é que acusavam o Bispo de Roma de ser a Besta do Apocalipse, citada no livro escrito por São João. Qual não foi minha surpresa ao saber que o “bondoso” e “compassivo” Chico Xavier também tá no time dos que pregam que a Igreja Católica é a praga do mundo.

Quanto ao número 666, sem nos referirmos às interpretações com os números gregos, em seus valores, devemos recorrer aos algarismos romanos, em sua significação, não por serem mais divulgados e conhecidos, explicando que é o Sumo-Pontífice da igreja romana quem usa os títulos de “VICARIVS GENERALIS DEI IN TERRIS”, “VICARIVS FILII DEI” e “DVX CLERI” que significam “Vigário-Geral de Deus na Terra”, “Vigário do Filho de Deus” e “Príncipe do Clero”. Bastará ao estudioso um pequeno jogo de paciência, somando os algarismos romanos encontrados em cada título papal, a fim de encontrar a mesma equação de 666, em cada um deles.
- Chico Xavier. “A caminho da luz”, cap. “Identificação da Besta Apocalíptica”

Esse conteúdo é encontrado no livro “A Caminho da Luz – História da civilização à Luz do Espiritismo”. Trata-se de uma obra “psicografada” (aham…), ditada pelo fantasminha Emmanuel. Eu não conhecia esse texto tão fofo, até receber a providencial indicação do nosso leitor Jotacê. Nesse livreco, Chico não só difama o catolicismo, como desrespeita um dos nossos maiores santos.
Santo Inácio de Loyola. O inferno treme ao ouvir seu nome! Esse basco viril, que entregou suas armas e sua armadura de cavaleiro aos pés da Virgem, foi eleito por Jesus Cristo para formar e comandar um dos exércitos mais combativos e disciplinados da Igreja, a Companhia de Jesus. Pois Chico Xavier o classificou como um homem de “cérebro obcecado e doentio”, inspirado por “espíritos tenebrosos e pervertidos”.
Pra piorar, Chico estendeu sua teia de calúnias sobre toda a Companhia de Jesus, ordem religiosa na qual se formaram numerosos santos e de onde saiu o nosso amado Papa Francisco.

A Companhia de Jesus, de nefasta memória, não procurava conhecer os meios, para cogitar tão-somente dos fins imorais a que se propunha.
- Chico Xavier. “A caminho da luz”, cap. “Ações do Jesuitismo”


     Chico Xavier em uma “sessão de materialização” de espíritos. O sujeito com a boca aberta está expelindo 
            ectoplasma (“Ectoplasma” deve ser o nome da marca da gaze que eles compraram na farmácia).

O interessante é que Emmanuel é tão “çábio”, mas tão “çábio”, que desce a ripa em um santo católico, enquanto tece altos elogios a um maluco suicida e causador de divisão: Martinho Lutero! O chama de uma das “figuras veneráveis” do século XVI, “eminente frade agostiniano” e “humilde filho de Eisleben”.
O livro “A caminho da luz” não traz nenhuma ideia original; é basicamente uma repetição de mitos pseudo-históricos e ataques clichês comumente desferidos pelos protestantes contra a Santa Igreja. O mais ridículo disso tudo é que recebemos aqui no blog uma penca de mensagens de espíritas ferozes, dizendo que somos maus ao atacar sua religião, quando eles, pobrezinhos, são tão “caridosos” e nunca falam mal do catolicismo. Esse papinho cínico e vitimista aqui não cola!
E não foi só em único livro que Chico Xavier lançou-se contra o catolicismo. Em “Emmanuel – Dissertações Mediúnicas Sobre Importantes Questões Que Preocupam a Humanidade”, ele atacou pontos importantíssimos da nossa Tradição e devoção, como a Santíssima Trindade. Chegou ao cúmulo de criticar a adoração ao Cristo na Eucaristia! Ó, que espírito evoluído!

A história do papado é a do desvirtuamento dos princípios do Cristianismo, porque, pouco a pouco, o Evangelho quase desapareceu sob as suas despóticas inovações, Criaram os pontífices o latim nos rituais, o culto das imagens, a canonização, a confissão auricular, a adoração da hóstia…
Chico Xavier. “Emmanuel – Dissertações Mediúnicas”

É por essas e outras que digo: nós católicos temos a obrigação, POR CARIDADE, de revelar aos nossos irmãos de fé o quanto os principais representantes do espiritismo odeiam a Igreja Católica. Allan Kardec, Leon Denis e Chico Xavier, entre outros, trabalharam intensamente para difamar e destruir a Esposa de Cristo. Essa verdade não pode mais ser silenciada em nome do politicamente correto.
Aos católicos desavisados que teimam em compartilhar as frases do Chico Xavier nas redes sociais, apresentamos estas que vocês desconhecem:










*****
Fonte: O Catequista em: http://ocatequista.com.br/archives/12612

---------------------------------

Comentário do Fim da Farsa mostrando a origem dos embustes:

1. Adventistas do Sétimo Dia: “O Papa é a Besta”

Embora não se possa achar nada de concreto nos escritos de Ellen G. White sobre este cálculo, alguns pioneiros adventistas como Uriah Smith, em seu livro “As profecias do Apocalipse”, já trazia o cálculo do número 666 aplicando-o ao Papa.
Fazem isso partindo da premissa de que o Papa "mudou a lei de Deus", principalmente o quarto mandamento, então chegam a conclusão que ele deve ser o anticristo conforme fala Daniel 7,25.
Para "confirmar" tal fato, era preciso forjar uma ligação de seu nome com o número 666.
Como não conseguiram o resultado usando o nome dos Papas, inventaram um título latino que supostamente o Papa usaria em sua Tiara, o “VICARIUS FILII DEI” (Vigário do Filho de Deus) e outros. Daí a famosa sominha que passou a fazer parte da teologia adventista até hoje e que foi usada pelo Chico Xavier e outras seitas protestantes:

V I C A R I V S F I L I I D E I  (detalhe: colocaram um "V" no lugar do "U" de Vicarius)
5 + 1 + 100+1+5+ 1+50+1+1 + 500+ 1= 666

Acontece, porém, que esta soma enfrenta algumas dificuldades insuperáveis seguida de uma mentira. Primeiro: o Papa nunca foi chamado de (V I C A R I V S F I L I I D E I). O Papa é chamado comumente Vigário de Cristo. A letra "U" em algarismo romano nunca teve valor numérico do "V" para valer 5. A palavra em latim “FILII” (filhos), que os hereges equivocadamente usaram, está no plural “filhos”, denunciando ainda mais a falcatrua. O latim correto seria: “Vicarius Filius Dei” (no singular) ou  “Vicarius Fili Dei”, também no singular,  para o título inventado "Vigário do Filho de Deus". Mas, estas somas também dão errado, e não interessaram aos hereges que queriam mesmo era insultar o Papa e a Igreja Católica a todo custo.

A segunda questão é que qualquer título do cargo, não é o “nome do um homem”, como sugere a bíblia.

A terceira questão é que o papa nunca foi chamado de "VICARIVS GENERALIS DEI IN TERRIS”, “VICARIVS FILII DEI” e “DVX CLERI”. Esses títulos foram forjados pelos adventistas e pelo Chico Xavier para que a soma "confirmasse" a mentira.

Conclusão: o Apocalipse foi escrito em grego, e não em latim, como querem os farsantes. É vergonhoso acreditar que os destinatários de João, autor do livro de Apocalipse, conhecessem o latim já que este era um idioma usado apenas nos territórios do Ocidente Europeu.

A falcatrua adventista, acabou por indicar que a Besta do Apocalipse é a própria profetisa dos adventistas. Basta somar o nome dela usando a mesma manobra desonesta adventista:

E L L E N G O U L D W H I T E
50+50+ 5+50+500 5+5 + 1 = 666 – o número da besta.
Onde “w” é = v,v = 5,5 (tanto é que no nome “Walter” o “W” é lido com som de “V”)
Diante disso, atualmente, muitos teólogos adventistas já não mais associam o número da besta com o título papal, restando apenas aos embusteiros espíritas, demonstrarem humildade e reconhecerem que foram enganados pelo Chico Xavier.

Decifrando o 666 da Bíblia:

Hoje, facilmente calcula-se o nome de CESAR NERO, “Qsr nrvn”, em caracteres hebraicos desta maneira, da direita para esquerda, como escreve os judeus. São João não codificou no obvio grego, pois era um código aos judeus.
N
V
R
N

R
S
Q


|
|
|
|

|
|
|


50
6
200
50

200
60
100
=
666






De fato, CESAR NERO, exigia para si as honras divinas e mandou matar Pedro, Paulo e milhares de outros católicos. 


2. Não foi o Papa que mudou os Mandamentos nem sua ordem, mas Jesus, confira:

"... Se queres entrar na vida, observa os mandamentos. Quais?, perguntou ele. Jesus respondeu:

1. Não matarás,

2. não cometerás adultério,

3. não furtarás,

4. não dirás falso testemunho,

5. honra teu pai e tua mãe,

6. amarás teu próximo como a ti mesmo. (Mt 19,17-19)

Isso é para os mentirosos protestantes e Chico Xavier saberem que:
a-     Não existe ordem para os Mandamentos;
b-     Os mandamentos na Bíblia Católica estão dispostos exatamente como estão dispostos na bíblia protestante que eles copiaram dos católicos;


3. Sobre os insultos aos jesuítas:

O "Juramento dos Jesuítas", de onde Chico Xavier tirou os insultos a santo Inácio e aos jesuítas é uma farsa protestante já refutada.
O “Juramento dos Jesuítas” e o “Juramento do cavaleiro de Colombo” são duas falsidades que para ganhar fama, tiveram o dedo difamatório protestante contra a Igreja Católica. Geralmente é aí que os enganadores protestantes e o Chico Xavier encontram insultos para atacar os Jesuítas e santo Inácio de Loyola. Essas duas quimeras tiveram origem no romance fictício “Rome Souterraine”, publicado em 1883 pelo mal-intencionado escritor Charles Didier (1805-1864). Didier foi um fantasioso difamador que se valia de personagens imaginários, nos moldes do Dan Brown de hoje, para sorrateiramente atacar à Igreja. Eu mesmo localizei nas três páginas finais de seu livro um falso “juramento” tão “aproveitado” para inspirar outros desonestos inimigos da Igreja. Todo embuste foi desmascarado aqui:

Fim da farsa.