terça-feira, 28 de julho de 2015

“Com Deus não se brinca” - Refutado



Por Fernando Nascimento

Certamente você já viu por aí algum protestante com texto ou vídeo dizendo que Deus e Jesus por terem sido zombados, mataram John Lennon, Tancredo Neves, Marilyn Monroe, Bon Scott, Cazuza, um grupo de jovens, atrapalharam Brizola e afundaram o Titanic.

Para “fundamentar” tal “fúria divina” os protestantes pescam de outro contexto na Bíblia a frase "Não vos deixeis desencaminhar: de Deus não se zomba; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. " (Gálatas 6,7). - Por aqui se observa que, se realmente tivessem zombado de Deus, seriam também zombados e não mortos, como querem os protestantes.

Desmascarando o uso errado da bíblia:

Ora, o capítulo 6 da Carta aos Gálatas, pescado pelos protestantes, fala do aperfeiçoamento e julgamento final do ser humano, jamais de vingança de Deus aqui na terra. Justamente o citado capítulo 6, começa dizendo: “Irmãos, se alguém for surpreendido numa falta, vós, que sois animados pelo Espírito, admoestai-o em espírito de mansidão. E tem cuidado de ti mesmo, para que não caias também em tentação!
Ajudai-vos uns aos outros a carregar os vossos fardos, e deste modo cumprireis a lei de Cristo. ” (Gálatas, 6,1-2 conforme bíblia protestante de João Ferreira de Almeida.)

São Pedro bem que escreveu a São Paulo falando dos indoutos e inconstantes que torcem suas epistolas pra sua própria perdição: “Falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição.” (2 Pedro 3,16)

Desmascarando a “vingança” atribuída a Deus

- Jesus não matou Lennon
Em 1966, Lennon declarou que os Beatles eram mais populares que Jesus Cristo. A declaração foi mal recebida e John pediu desculpas, se explicando logo depois.

Em 11 de agosto do mesmo ano, John Lennon deu uma conferência à imprensa em Chicago dizendo: "Se tivesse dito que a televisão era mais popular do que Jesus, ninguém teria ligado.(...) Não sou anti-Deus, anti-Cristo ou anti-religião. (...) Não estou a dizer que sejamos melhores ou maiores, ou a comparar-nos a Jesus Cristo como pessoa ou Deus ou seja o que for. Disse o que disse e estava errado - ou fui interpretado erradamente": http://pt.wikipedia.org/wiki/John_Lennon
Conclusão: quem matou Lennon a tiros, foi o evangélico Mark David Chapman, e não Deus. O pastor Martin Luther King também morreu alvejado a bala sem ter zombado de Deus.

- Deus não matou Tancredo Neves
Tancredo era católico e muito religioso, jamais disse “nem Deus me tiraria da presidência da república”, como caluniam e repetem essa mentira para vê-la tornar-se verdade, muito menos buscava “votos”, pois foi eleito por um colégio eleitoral e Estabeleceu as eleições diretas no País. Faleceu, mas seu vice José Sarney cumpriu o mandato.
Os articulistas do embuste que desmascaramos, querem dar a entender que Tancredo morreu sem que se esperasse isso. Os médicos derrubaram esta farsa quando no dia 22/04/2005, no Globo Repórter/ Rede Globo, afirmaram que Tancredo Neves era paciente terminal mesmo antes de candidatar-se, por trazer grave enfermidade, que não foi a anunciada como causa de sua morte. Os médicos foram categóricos: “Tancredo como estava enfermo não viveria para assumir o governo”. Isso dilui a mentira dos que tentavam colocar palavras até na boca de um falecido.

- Jesus Cristo não matou Marilyn Monroe
Marilyn Monroe foi encontrada morta no seu quarto em 4 de agosto de 1962, ao lado dela, havia um frasco de remédio para dormir, levando a conclusão de que ela havia sofrido uma overdose – intencional ou acidental. O FBI implicou Bob Kennedy no suicídio da atriz: http://www.dn.pt/inicio/interior.aspx?content_id=654518&page=-1
Não há registros de que Marilyn tenha desdenhado de Jesus a qualquer pastor.

Se Jesus matasse todo aquele que diz que não precisa dele, todo dia iríamos ao enterro de um ateu, e seria Jesus Cristo o maior assassino da história. Quanta blasfêmia contra Cristo.
O gospel Elvis Presley seguiu o pastor Billy Graham, citado neste embuste, e também foi encontrado morto pelas drogas do mesmo modo.

- Deus não atrapalhou Brizola
Se Brizola tivesse dito de fato, coisa que não se prova, que “aceitava até o apoio do demônio para se tornar presidente”, não teria concorrido àquela eleição sozinho e sem apoio de qualquer outro partido. Se não ganhou a eleição, perdeu do mesmo modo que o evangélico Anthony Garotinho, que se dizia o presidenciável enviado de Deus. Logo cai por terra a “vingança de Deus” em mais este embuste.

- Deus não matou Bon Scott, do AC/DC
A causa oficial da morte de Bon Scott foi "intoxicação alcoólica aguda" e "morte por descuido". Nada de “Vingança de Deus”. Há dezenas de bandas roqueiras satânicas que propalam blasfêmias contra Deus em todos os seus shows e discos, muitos vocalistas blasfemos estão bem velhinhos, prestes a morrer na velhice como o também blasfemo José Saramago. Deus está pouco se lixando para o que eles dizem neste mundo. Deus os esperará calmamente no dia julgamento, e também a todos nós. http://www.acdcbrasil.net/index.php/a-banda/integrantes/bon-scott

- Deus não matou Cazuza
Cazuza, foi um grande cantor, mas infelizmente era um fraco de espírito que procurava uma “ideologia” terrena para viver. Essa estória de que Cazuza fumava maconha durante o show não se sustenta, visto que os shows tem sempre a presença maciça da Polícia que já prendeu durante os shows todos os cantores que fumaram ou fizeram apologia à droga em palco. Não há notícias jornalísticas de que Cazuza tenha sido preso por isso ou tido qualquer problema em shows. E, se por acaso, o impiedoso articulista protestante desdenha da desgraça dele dizendo: “nem precisa dizer em que situação morreu esse homem”, eu o digo: morreu enfermo com AIDS, numa situação igual ao pastor esposo da senhora Maria das Graças Madeira, que também foi contaminada pelo pastor: http://saberviver.org.br/publicacoes/fe-aliada-ao-coquetel-o-melhor-remedio/

- Deus não afundou o Titanic
O navio zarpou com 2.227 pessoas a bordo entre homens, mulheres e crianças, sob o comando do experiente capitão Edward J. Smith, que realizaria sua última viagem antes de se reformar. Os passageiros da terceira classe eram, na maioria, imigrantes que iam para a América em busca de uma chance de trabalho ou fugindo de um passado difícil em seus países. 1.522 pessoas morreram na catástrofe devido um choque contra um iceberg. Deus mataria em águas geladas esses pobres sofredores por causa da língua de um só??? Veremos se essa lenda é verdadeira: O construtor do Titanic, a quem os protestantes atribuem a suposta “blasfêmia”, foi Thomas Andrews Jr. (1873–1912), era um diretor e chefe de construção naval na empresa Harland and Wolff, na cidade de Belfast, Irlanda.

Thomas Andrews Jr. foi o projetista do RMS Titanic. Ele viajava na viagem inaugural do Navio, para fazer reparos e ajustes se necessário, não há qualquer registro que ele tenha dito “nem Deus afunda este navio”, como alegam alguns mentirosos que nunca mostraram qualquer notícia da época com essa afirmação.
Quando o navio colidiu com um iceberg em 15 de abril de 1912, foi Thomas Andrews Jr. que calculando os graves danos que sofrera o navio, resolveu acordar muitos pobres viajantes e colocá-los nos poucos botes disponíveis e salvá-los a vida, morrendo ele mesmo no naufrágio.

Seu corpo nunca mais foi visto depois disso. Os jornais consideraram Andrews como um herói devido a sua persistência em colocar o maior número de pessoas dentro dos botes salva-vidas, evitando a morte de muitas pessoas. Em 1914 um memorial foi construído em sua cidade natal, o "Thomas Andrews Jr. Memorial Hall"

Outra inverdade que propalam para dar mais dramaticidade ao embuste, é que este foi o “maior naufrágio de um navio de passageiros do mundo”, quando na verdade o maior naufrágio de navio de passageiros do mundo, foi o do navio alemão ex-cruzeiro de luxo M/S Wilhelm Gustloff, com quase seis vezes mais vítimas que o Titanic.

- Deus não matou a fictícia garota e seus colegas, que teria dito "só se ele (Deus), for no porta-malas, pois aqui já está lotado".

O articulista deste embuste dá o caso como acontecido em Campinas/SP, em 2005. Uma simples análise superficial logo desmascara a quimera:
1. Não anexaram qualquer cópia do boletim de ocorrência do acidente, nem citam nomes;
2. A foto usada para o “acidente”, foi tirada fora do Brasil, basta olhar para os veículos nela;
3. O Corpo de Bombeiro de São Paulo, jamais usou trajes amarelos como na foto;
4. O SAMU foi criado em 2003, mas a ambulância da foto, “em 2005”, é do estilo americano;
5. O carro acidentado da foto, não estava cheio de baladeiros, mas de caixas, que foram tiradas através do teto rasgado pelo bombeiro com seu alicate Lucas e jogadas no chão;
6. Carros que sofrem colisão frontal, geralmente ficam com a parte traseira intacta, por isso os bebês devem ser colocados seguros no banco de trás, e apesar de acidentes reais e muito piores que o dessa farsa, foram os únicos sobreviventes, confira aqui:

Lamentavelmente, usam descaradamente essas mentiras para enganar as pessoas. Todas essas inverdades foram engolidas pelo ex-integrante da banda “Raymundos”, o Rodolfo Abrantes, que virou “evangélico” e cita essa falsidade no seu “testemunho”. http://www.slideshare.net/clubedelider/rodolfo-abrantes-testemunho-310604

Com Deus não se brinca, é verdade, mas também não se deve acusá-lo de ser assassino injustamente, e muito menos usar do expediente do Diabo, o pai da mentira, para fingir que ama Deus dando falso testemunho contra as pessoas. Isso é cometer blasfêmia maior que a que atribui aos outros.

Contrariando os prosélitos que espalham esta farsa, o Filho de Deus em pessoa, quando foi zombado, brutalmente chicoteado, coroado com espinhos e crucificado, disse piedosamente: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem.” (Lc 23, 34)

Só o desconhecimento do amor de Deus faz as pessoas forjarem essas coisas.